7 de jun de 2010

Pequenas empresas. Grandes AI's.

Já é ponto pacífico que, durante a concepção de um projeto web, a presença de usabilidade e práticas de AI são fundamentais para o sucesso e atingimento das metas e isto gerou um crescimento considerável na busca por capacitação de profissionais voltados para planejar e organizar as informações que serão expostas no website ou sistema.

E paralelo a este crescimento, muitos conceitos e melhores práticas circulam através de livros, artigos ou fóruns, com textos que giram em torno deste processo. Desta forma, algumas empresas de desenvolvimento web, que ainda não dispõe de equipes com experts neste segmento, passam a conhecer as metodologias e sua importância em um mercado digital crescente e em constante transformação.

Podemos ver também os conceitos de usabilidade e “encontrabilidade” - "findability como Peter Morville nomeou a facilidade de encontrar informações na web - refletidos nos atuais buscadores (lá vem ela novamente falando do Google...) que dia a dia indexam e organizam suas diretrizes com algumas pérolas das boas praticas do AI.

Embora exista muito material interessante sobre o assunto, a analise e arquitetura de informações, como todas as partes envolvidas no projeto web, requer muito conhecimento sólido e aplicado para garantir a qualidade do resultado para o seu cliente.

Sabendo disto, algumas empresas, na intenção de posicionar seu negócio de forma correta dentro do ambiente digital, contratam grandes agências que utilizam uma gama de profissionais durante todo o projeto, garantindo assim o sucesso com um custo proporcional à demanda solicitada.

Atualmente, grandes projetos de Ai e UX ainda estão restritos à grandes organizações por conta de seu alto custo de implementação. E as pequenas empresas que pretendem colocar seus websites de acordo com os princípios adequados e com verba menos substancial, acabam por encontram muitas agências que ainda não tem um time completo para atendê-las.

A pergunta que me fizeram a um tempo atrás é: como uma agência com equipe enxuta pode fazer um projeto, que tenha em um de seus estágios de concepção a Arquitetura de Informação, que traga um resultado eficiente no negócio digital de seu cliente?

Eu acredito firmemente que ser uma agencia pequena não impede que o trabalho de AI seja realizado de forma eficaz e correta e muito menos impede de ter uma equipe robusta. A cada dia que passa mais profissionais bem formados estão dispostos no mercado. E não estou falando apenas no âmbito da AI ou UX. Se a sua empresa ainda não encontrou um deles basta atentar para alguns cuidados importantes na hora de montar sua equipe. Deixo abaixo algumas dicas importantes que podem ser diferenciais:

Qualificação de Profissional
Antes de começar qualquer projeto com informações e competências que não temos domínio, é imprescindível aprender sobre o assunto, pois além de dar mais segurança em defesas e apresentações para o cliente, garante sua qualidade.

Se sua empresa ainda não dispõe de verba para contratar um profissional experiente em Arquitetura de Informação e Usabilidade saiba que existem muitos cursos com bons professores e excelentes escolas. É importante fazer uma boa pesquisa no mercado para investir na formação ideal. Definido o curso procure dentro de sua própria empresa um profissional com perfil mais analítico, organizacional e veja se ele não quer aprender sobre o assunto.

O que isto tem de bom? Multidisciplinaridade. Se o seu htmler gosta de Taxonomia e já comentou alguma coisa sobre behaviorismo acredite, ele é um forte candidato a ser seu mais novo aliado na arquitetura de informação. Invista nele pois muitas vezes um curso pago para um profissional que está dentro de casa, pode ter um custo/benefício bem positivo a curto prazo.

Multidisciplinaridade
Uma equipe com profissionais de mesma disciplina conseguem fazer um bom projeto mas uma equipe multidisciplinar além de faze-lo bem consegue o resultado esperado pelo cliente, pois a existência de variados profissionais na equipe ou pessoas com conhecimentos abrangentes sobre web evita visões parciais do todo.

Por exemplo: se fizermos uma AI com moldes mais técnicos sem foco no negócio gera um site bem organizado e encontrável, porém sem a dinâmica que encanta o usuário durante sua experiência de navegação. Por outro lado, se o foco for o webdesign e/ou webmarketing o resultado pode ser um site com total foco no negócio mas com falta de usabilidade, correndo o risco de gerar uma experiência frustrante para o usuário.

Alguns pontos importantes que a multidisciplinaridade pode oferecer ao projeto de uma pequena agência:
• Criação de testes de usabilidade internos a fim de poder avaliar melhor a performance do projeto;
• Escolha de tecnologias, garantindo a facilidade de implementação e manutenção;
• Design melhor em longo prazo;
• Marketing focado na expectativas do cliente usando as tecnologias apropriadas para a realização dos objetivos;
• Pensamento constante no foco do negócio e no atingimento do objetivo.

Compreender o negócio do cliente e seu contexto
O entendimento pleno do foco do negócio da empresa de seu cliente deve ser comum a todos os membros da equipe. Desta forma os objetivos estabelecidos serão mais claros e encaixados dentro da própria estratégia da empresa.

“Mas Iris, meu cliente é tão pequeno que nem tem estratégia”. Olha ai uma boa oportunidade de você fideliza-lo e ainda agregar valor ao negócio dele. Quem garante que daqui um tempo ele não será grande?

Entenda ou se necessário desvende o foco comercial dele, dê sugestões para dar apoio a estes objetivos de negócio e no final do projeto - por conta do caminho para a organização das informações ter ficado mais claro para seu arquiteto - seu cliente receberá um sistema ou website que vai sustentar sua estratégia trazendo a ele uma grande vantagem competitiva. E com certeza quando ele crescer não vai esquecer de você.

Mediar necessidades de cliente e usuário
Algumas vezes, quando se apresenta protótipos do site ou sistema para o cliente, uma coisa fica muito clara: a vontade dele não é a mesma que a do usuário. Prepare-se com boas e embasadas defesas pois terá que lidar com isto de forma a não prejudicar o bom andamento do projeto.

Não seja espartano. Tente o equilíbrio. O fundamental é pensar no contexto do negócio e tentar harmonizar fatores como tempo, orçamento e outros que aparecerem. Ideal é buscar sempre a melhoria para o usuário pois é a partir desta conscientização que o negócio virtual terá seu sucesso.

Lembre-se sempre que acima de tudo bons projetos dependem da equipe e sempre, quanto mais bem formada e preparada ela está, mais a sua empresa ganha espaço dentro do mercado digital.

E um fator muito importante para resultados positivos dentro de ambientes digitais é certamente é a facilidade que o usuário precisa para encontrar a informação que se deseja expor. E este resultado só uma boa arquitetura consegue produzir.

Compartilhar

Postagens Relacionadas

Pequenas empresas. Grandes AI's.
4/ 5
Oleh

Assine via e-mail

Adicionar o seu endereço de e-mail para subscrever .

Página inicial